sábado, 6 de junho de 2009

Alquimia - Origem e Fundamentos


A alquimia é uma das ciências, em que só o nome já desperta as mais contrárias e diversas reações; atração, desprezo, curiosidade, incertezas... sentimentos opostos provocados em parte pela falta de informação concisa sobre sua origem e objetivos.

A palavra alquimia parece ter uma procedência duvidosa. Muitos afirmam que a expressão atual, é legada dos árabes, que significa “terra ou solo negro”. Segundo esta hipótese, os mulçumanos se referiam as obscuras terras do Egito onde teriam aprendido os primeiros segredos dessa misteriosa ciência. A figura do filósofo egípcio Hermes Trimegistus seriam então considerada como o pai do saber humano e daí derivaria o termo “hermético” que com frequência aparece relacionada a alquimia.

Mas não só do Egito provêm os primeiros escritos sobre esta atividade, mas também das longínquas terras chinesas. No ano 140 d.C. apareceu naquele país o primeiro tratado alquímico e as idéias que a ligam estreitamente com o Taoísmo.
O fato é que encontraram muitos escritos gregos citando os orientais como referências egípcias nos textos árabes. Na atualidade os principais documentos se encontram na Biblioteca Nacional de Paris e em Leyden, onde foram divididos os textos alquímicos em dois grandes grupos: os de origem grega, e os outros firmados por um misterioso homem chamado Jabir Ibn Hayyan, conhecido como Geber, que teria vivido no século VIII. Estudos mais cuidadosos demonstraram que nem todas as obras atribuídas aos originalmente a Geber foram na verdade escritas por ele.
A medida que os árabes foram se tornando influentes na Europa, novos homens se dedicaram ao estudo da nova disciplina. Os nomes que a história mostra são bem conhecidos e entre eles se destacam San Alberto Magno (1193-1280), o marroquino Ramón Llull (1232-1315), Roger Bacon (1213-1294), Arnaldo de Vilanova (1250-1311), Paracelso (1493-1541), e inclusive Isaac Newton, o primeiro grande cientista moderno que, mesmo sem ter se dedicado completamente a alquimia, a citou com freqüência em suas obras e que teria mandado construir um pequeno laboratório no Trinity College para estudar os mistérios da transmutação.

Deixando aparte sua face misteriosa e oculta, devemos notar que a alquimia contribuiu de forma muito importante no progresso da química de laboratório. Novos aparatos como o alambique e novas técnicas como a destilação se converteram em algo de uso cotidiano, ao mesmo tempo que se descobriam substâncias até então ignoradas como o ácido sulfúrico, o ácido nítrico, o amoníaco, e etc.

Mas a alquimia era antes de tudo uma ciência hermética ao redor da qual se formou uma teia de mistérios e segredos, originados em parte pelas aspirações extranhas e imcompreensão de seus seguidores, assim como pela forma simbólica e quase indecifráveis de seus escritos.
Não é fácil resumir em poucas palavras o trabalho de um alquimista. Este se concentra especialmente em três faces distintas: A busca da Pedra Filosofal, em presença da qual todos os metais se convertem em ouro; em sugundo lugar o descubrimento do elixir de longa vida, imaginado como uma substância capaz de evitar a corrupção da matéria e por ultimo o alcance da “Grande Obra” cujo objetivo era elevar o próprio alquimista a um estado superior de existência, em situação previlegiada no universo.

A linguagem alquímica

A leitura da uma obra alquímica é extremamente árdua para um não-iniciado. A linguagem alquímica parece bastante abstrata, absurda, imcompreensível, mas na verdade é esotérica e mística, suturada de códigos, de símbolos, de referências que confudem.
“O alquimista considera essencial esta dificuldade de acesso, já que se trata de transformar a mentalidade do leitor a fim de fazê-lo capaz de perceber os sentidodos atos descritos”, explica o escritor francês Michel Butor. “A linguagem alquímica é um instrumento de extrema agilidade que permite descrever operações com precisão e, ao mesmo tempo, situando-las com respeito a uma concepção geral da realidade”.
_

2 comentários:

  1. Nao tenho duvidas de que se tratava de conhecimentos cientificos. Alquimia, Quimica ``apenas´´ conhecimentos sobre quimica.

    ResponderExcluir
  2. Comentário que acredito que será recebido com muita satisfação por todos aqueles que desejam saber mais da ciência que é a alquimia. O primeiro comentário é que o alquimista Mateus se encontra no Brasil desde o dia 27/08/2004, e possivelmente lançara seu livro de nome “A luz da alquimia” aqui no Brasil. Será verdade?!!. A quem tiver interesse e saiba de algu ou até mesmo queira comentar, procure nossa comunidade no Orkut... comentário por: B.L.S

    ResponderExcluir